Algo a mais · Psicologia

Precisamos falar sobre aborto!

Por: Clara Mendes

Isso aqui não é indireta pra ninguém. Quem já cometeu aborto e tem contato comigo, sabe que falo o que penso na lata.

Eu sou apaixonada pela Igreja Católica. Mas não me deixo limitar. Vou além das barreiras. Vivemos em um país “laico”. Use argumentos cristãos, para falar aos cristãos. 

Detesto usar Caps Look. Mas é banal demais ter que falar que UM FETO É UMA VIDA. QUE HÁ OUTRAS SAÍDAS. SE NÃO TEM MATURIDADE, NÃO TRANSE! BANDIDO BOM É BANDIDO MORTO! E UM FETO NÃO ABUSOU, ASSALTOU OU MATOU ALGUÉM. SE VOCÊ TRAIU E ENGRAVIDOU, MATAR NÃO VAI APAGAR A TRAIÇÃO. UMA MULHER SABE SEU PERÍODO FÉRTIL. MESMO QUE VOCÊ USE MÉTODOS CONTRACEPTIVOS, NÃO TRANSE NESSES DIAS! NÃO É POSSÍVEL QUE VOCÊ ANDE COM PESSOAS TÃO CRUÉIS QUE NENHUMA POSSA TE APOIAR QUANDO VOCÊ DESCOBRE. PROCURE PSICÓLOGOS, IGREJAS, PROFESSORES, PODE ME PROCURAR, BUSQUE ALGUÉM QUE CONFIE. NÃO FAÇA NADA SEM PENSAR. 

MULHER É UMA PALAVRA QUE CARREGA MUITA FORÇA. SE VOCÊ NÃO TEM GARRA PRA CRIAR UM FILHO, OUTRA VAI TER. NOSSOS AVÔS TIVERAM 10 A 14 FILHOS E MESMO NA POBREZA, NÃO MATARAM. 

O BEBÊ APRENDE AINDA PEQUENO QUE A MÃE NÃO É UMA EXTENSÃO DO SEU CORPO. QUANTOS ANOS VOCÊ TEM QUE NÃO ENTENDEU QUE “MEU CORPO, MINHAS REGRAS” NÃO SE APLICA AO ABORTO?

E sinto muito se as feministas que seguem a este blog, não perceberam que detesto esse movimento.

Beijos, bençãos, chuvas e viva a vida :* ♥

 

Anúncios

25 comentários em “Precisamos falar sobre aborto!

  1. FINALMENTE ALGUÉM QUE REALMENTE ENTENDE A VERDADEIRA QUESTÃO DESSE ASSUNTO. (Também ODEIO usar o caps, mas é necessário.)Legalizar o aborto não é a solução. A solução é educar, informar, passar informação dos RISCOS que as pessoas correr quando transam sem camisinha. Um filho, é uma das MENORES preocupações. Existem TANTAS doenças sexualmente transmissíveis, muitas que MATAM, que NÃO têm cura. Precisamos de um plano educacional, não de uma lei que facilite as pessoas agirem com imprudência. Legalizar o aborto não é a solução.

    PS: Não sou “religiosa” 😉

    Curtido por 1 pessoa

    1. Até porque se você mata, não provém saúde. As pessoas tem tanta maturidade pra ter relações sexuais, que falam mais de engravidar do que DST’s. Um método vinculado a outro, aumenta a chance de não ocorrer. Mas infelizmente, não são todos que zelam pela vida. :/

      Curtir

  2. Não tenho opinião totalmente formada sobre aborto, mas admiro bastante quando alguém é capaz de expor a própria mesmo quando é tão controversa desse jeito, então parabéns de toda forma. Controversa porque atualmente parece um pouco que é moda defender o aborto de qualquer maneira, pelo menos entre os mais jovens. E DEFENDER pra mim já é um pouco demais, é melhor se manter “ok” do que dizer “VIVA O ABORTO, UHU!” e comemorar uma liberação, quando na verdade ninguém tem absoluta certeza de em qual momento aquele feto passa a ser senciente, se tem ali uma alma ou não, entre diversas outras questões, científicas, além de morais, espirituais e etc, que é preciso balancear (e olha que não tenho religião, apesar de acreditar muito em Deus e que somos mais do que só um conjunto de reações bioquímicas e células). Nem pra sim, nem pra não, certeza absoluta ninguém tem ainda.

    Minha opinião ainda não-formada é pelo seguinte: apesar de não caber a mim julgar quem faz (e também não quero que mulheres continuem sofrendo, morrendo ou sejam presas por isso, então talvez possa ser benéfico, sim, legalizar), eu também não estimularia que alguém fizesse, ou vestiria a camisa dando apoio.
    Há tantas questões que tornam a decisão de abortar muito mais complicada, e difícil de se tomar do que uma frase pronta de “meu corpo, minhas regras” ou “você quer que o bebê nasça, mesmo eu não estando numa boa condição financeira?”, e muitas vezes essas frases podem cegar tudo mais que pode estar em jogo.
    Há bem mais envolvido nesses momentos do que o nosso corpo e nossa condição financeira, e uma decisão pautada SÓ nisso pode, infelizmente, ser um pouco egoísta e gerar um peso na consciência tremendo no futuro. Mas até aí, isso é algo que eu aplicaria pra minha vida, pra evitar que tenha esse peso, e não tentaria impor aos outros. Então fico no impasse sem saber o que pensar ainda… sempre bom ler os argumentos de quem é a favor e quem não é (até porque, quem não é a favor se manifesta cada dia menos, com medo de represálias), de toda forma!
    Abraço!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Melhor pensar, tentar entender, e respeitar, do que muitos que nem se importam com o feto ou com a mulher. Também acho que as duas frases “meu corpo, minhas regras” e “você quer que o bebê nasça mesmo eu não estando numa boa condição financeira?”, argumentos fracos.
      Tenho esse posicionamento porque já duvidei estar grávida, e mesmo sem emprego, fiquei um pouco triste que não passou de dúvida. Só que cada caso é um caso, e cada cabeça é cada cabeça. Há vários argumentos e momentos. Mas nada deve ser feito de cabeça quente né? Até porque há duas vidas em jogo. Qualquer que seja as atitudes tem que ser bem pensadas. Já que não há como reverter.

      Curtido por 1 pessoa

  3. Olá, Clara, tudo bem? Acabei de conhecer o seu blog! Realmente precisamos falar sobre o aborto, afinal, já é um caso de saúde pública visto que a cada 9 minutos morre uma mulher vítima de um aborto clandestino. Eu tenho um posicionamento diferente do seu, mas como disse Voltaire “posso não concordar com o que você diz mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo”
    https://fiamavsa.blog/
    beijos

    Curtir

      1. Não entendo o por que, mas toda hora minha explicação sobre o que é vida some.. Mas vamos lá, a vida, para o direito brasileiro, começa quando o cérebro forma as primeiras terminações nervosas promovendo os primeiros impulsos elétricos.

        Curtir

      2. Cara Fiama, os comentários requerem minha aprovação. Não quero que no meu blog tenha debates. Isso eu faço em meu perfil do facebook. Não vou dar “ouvidos” a quem tem ideias bem diferentes das minhas.

        Curtir

  4. Também acho que o aborto não é solução para nada! Há tantas outras formas de se lidar com o problema 😉
    Só não entendo porque detestar um movimento tão multiplo [feminismo] que, inclusive, não defende apenas essa bandeira (e, diga-se de passagem, não defende essa bandeira ‘necessariamente’, já que o feminismo é “das mulheres” e mulheres não são apenas as que querem abortar, são as que desejam ser respeitadas, amadas, incluídas, etc) 🙂

    Curtir

  5. Você deveria conhecer mais desse movimento que tanto detesta. Sou cristã, sou contra o aborto e sou feminista. Por que feminismo nada mais é do que a luta por direitos iguais. Quanto ao aborto, criminalizar não funciona. Quando se legaliza, você tira as mulheres grávidas de clínicas clandestinas e coloca ela na saúde pública. Lá sim, ela pode ter a assistência e educação que precisa. É por isso que em todos os países que foi legalizado, a taxa de aborto caiu e de morte de mulheres por aborto tb.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s