Psicologia

Freud x Erick Erikson

Por: Clara Mendes

[TEXTO ADAPTADO]

teoria psicossexual de Sigmund Freud e a teoria psicossocial de Erik Erikson são duas teorias de desenvolvimento bem conhecidas. Mesmo influenciado por ideias de Freud, a teoria de Erikson diferia em vários aspectos importantes. Como Freud, Erikson acredita que a personalidade se desenvolve em uma série de etapas predeterminadas. Ao contrário de teoria dos estágios psicossexuais de Freud, a teoria de Erikson descreve o impacto da experiência social ao longo de toda a vida.

Do estágio do nascimento a um ano foi chamado por Freud de oral. Onde a fonte primária do prazer de uma criança é pela boca, através de sucção, alimentação e degustação. Problemas com esta fase podem resultar no que Freud chamava de fixação oral. Na Teoria do Desenvolvimento Psicossocial de Erikson chamou isso de estágio de confiança contra desconfiança. As crianças aprendem a confiança ou desconfiança de seus cuidadores. O cuidado que os adultos fornecem determina se as crianças vão desenvolver esse sentimento de confiança no mundo em torno delas. Crianças que não recebem cuidados adequados e de confiança podem desenvolver um sentimento de desconfiança dos outros e do mundo.

De um a três anos Freud denominou como fase anal do desenvolvimento. As crianças ganham um senso de domínio e competência por meio do controle da bexiga e evacuações. Crianças que têm sucesso neste estágio desenvolvem um sentimento de capacidade e produtividade. Aquelas que têm problemas nesta fase podem desenvolver uma fixação anal. Quando adultos elas podem ser excessivamente ordenadas ou confusas. Erikson chamou esse estágio de autonomia contra a vergonha e dúvida. As crianças desenvolvem a autossuficiência, controlando atividades como comer, o treinamento do toalete e falar. Aquelas que têm sucesso nesta fase desenvolvem um senso de independência.

Dos três aos seis anos Freud se referiu a esta fase como a fase fálica. A energia da libido está focada nos órgãos genitais. As crianças começam a se identificar com o seu genitor do mesmo sexo. Meninos experimentam o complexo de Édipo enquanto as meninas experimentam o complexo de Electra. Na Teoria de Erikson chamou isso de estágio da iniciativa versus culpa. As crianças começam a ter mais controle sobre seu ambiente. Aquelas que são bem sucedidas nesta fase desenvolvem um senso de propósito, enquanto aquelas que lutam ficam com sentimentos de culpa.

Dos sete aos onze anos Freud se referiu a este como o período de latência. A energia da libido é suprimida e as crianças estão focadas em outras atividades, como escola, amigos e hobbies. Erikson chamou isso de estágio da construtividade contra inferioridade. As crianças desenvolvem um senso de competência por dominar novas habilidades. Sucesso neste estágio desenvolve orgulho em suas realizações, enquanto aquelas que fracassam podem ficar se sentindo incompetentes.

Na adolescência Freud se referiu a este ponto no desenvolvimento psicossexual como o estágio genital. As crianças começam a explorar as relações românticas. O objetivo desta etapa é desenvolver um senso de equilíbrio entre todas as áreas da vida. Aqueles que tenham concluído com êxito as etapas anteriores estão agora carinhosos e bem ajustados. Erikson chamava este momento no desenvolvimento psicossocial da identidade x confusão. As crianças desenvolvem uma identificação pessoal e senso de si. Adolescentes exploram diferentes papéis, atitudes e identidades à medida que desenvolvem um senso de si. Aqueles que recebem apoio e encorajamento vão surgir com um forte senso de quem eles são e o que eles querem realizar. Aqueles que lutam para forjar uma identidade forte permanecerão confusos sobre quem eles são e o que eles querem fazer com sua vida.

Na idade adulta a teoria de Freud se concentra em grande parte do período entre o nascimento e adolescência. De acordo com Freud, o estágio genital dura toda a vida adulta. Ele acreditava que o objetivo é desenvolver um equilíbrio entre todas as áreas da vida. Teoria de Erikson inclui mais três etapas que abrangem a idade adulta. Estas três etapas são: Intimidade vs Isolamento:  Os jovens adultos procuram o amor romântico e companheirismo. Produtividade VS Estagnação: adultos de meia-idade cuidam dos outros e contribuem para a sociedade.

Erikson é considerado o primeiro psicanalista infantil americano. Tornou-se psicanalista após trabalhar com Anna Freud, porém, em seus estudos, não focou no id e nas motivações conscientes como os demais psicanalistas, mas nas crises do ego no problema da identidade.

A Teoria Eriksoniana do desenvolvimento humano tem algumas características peculiares. O ego é o foco, ao invés de Freud que focava o id. Outras etapas do ciclo vital são estudadas. Freud valorizou a infância e Erikson reconhece o grande valor dessa etapa sem desvalorizar as demais como adolescência, idade adulta e velhice. O desfecho da crise pode ser positivo (ritualização) ou negativo (ritualismo). De um desfecho positivo surge um ego mais forte e estável, enquanto o desfecho negativo gera um ego mais fragilizado. Ocorre a reformulação e reestruturação da personalidade após cada crise do ego.

Era para ser postado ontem, mas o tempo anda bem corrido. Espero que tenham compreendido. Um beijão ♥

Me siga nas redes sociais: 

Instagram: m.clara_araujo

Facebook: Clara Mendes

Canal no Youtube: Clara Mendes

Anúncios

4 comentários em “Freud x Erick Erikson

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s